GLAUBER ROCHA, LEITOR DE JOSÉ LINS DO REGO: TRÂNSITO ENTRE O DISCURSO LITERÁRIO E O DISCURSO AUDIOVISUAL

Arlindo Rebechi Junior

Resumo


Este artigo focaliza os procedimentos formais e discursivos presentes no segundo filme de longa-metragem de Glauber Rocha, Deus e o Diabo na Terra do Sol (1964), tendo em vista as leituras assimiladas pelo cineasta brasileiro da obra do escritor José Lins do Rego. Desde muito cedo, Glauber Rocha tornou-se um assíduo leitor do escritor paraibano e, em 1957, publica um artigo sobre o José Lins do Rego na revista Mapa. Em Deus e o Diabo na Terra do Sol, o cineasta baiano, entre outras coisas, deu prosseguimento às preocupações trazidas no artigo de 1957 e formulou, sob uma perspectiva crítica, um mundo ficcional do sertão com clara aproximação ao trabalho do escritor paraibano. PALAVRAS-CHAVE: GLAUBER ROCHA (1939-1981); JOSÉ LINS DO REGO (1901-1957); CINEMA BRASILEIRO;
DEUS E O DIABO NA TERRA DO SOL (1964).

Texto completo:

PDF