MEMÓRIA E ESQUECIMENTO COMO SINAL DE LUTA: RELATOS DE CAMPONESES BRASILEIROS E ANGOLANOS

Flávia de Almeida Moura, Larissa Leda F. Rocha

Resumo


A partir do cruzamento de relatos de camponeses brasileiros e angolanos, trazemos reflexões
sobre relações entre Comunicação e memória a partir de trabalhos de campo, baseados em
entrevistas e observações, realizados no estado do Maranhão e em três províncias do Sul
de Angola: Benguela, Huambo e Huíla. Nos orientamos por Portelli (2000), concebendo
memória como sinal de luta e pelos enquadramentos de memória de Pollak (1992), indicando
relações entre memória, esquecimento e silêncio. Apesar das similaridades encontradas, há
questões em relação aos contextos históricos, sociais e culturais de cada localidade estudada.
PALAVRAS-CHAVE: COMUNICAÇÃO; MEMÓRIA; MIGRAÇÃO; TRABALHO.


Texto completo:

PDF